Coesão Social, Económica e Territorial

Juntas Locais
A recolha de experiências na aplicação do LEADER I e a execução do LEADER II, vieram progressivamente demonstrar à ADRIL a importância da componente territorial do programa. Assim, o LEADER + irá mais longe na intervenção integrada num quadro territorial territorial de referência: um dos projectos estratégicos do LEADER + será precisamente a elaboração de um Plano Director - Master Plan para o Vale do Lima. Nas intervenções anteriores, foram desenvolvidos três projectos âncora, designados genericamente por Centros Cívicos e que corresponderam ao reforço das centralidades de três núcleos populacionais com potencialidades para estruturar o que no futuro venha a ser desenvolvido no Master Plan.

Assim, foram feitas intervenções de criação de infra-estruturas básicas, recuperação de edifícios e equipamentos e arranjos no espaço público exterior, em Calheiros, Bravães e Sistelo, com vista a potenciar a capacidade de animação cívica e organização das populações locais em torno de algumas actividades e espaços valorizados. São projectos em grande parte, idênticos aos de recuperação de património arquitectónico ou ambiental e visam criar centros locais para fortalecimento da vida cívica e social fora dos centros urbanos, cuja importância decorre acima de tudo, da falta de espaços de contacto, nas áreas de povoamento disperso ou de montanha, onde pequeníssimos lugares e populações se encontram isolados e marginalizados.

Para além destes objectivos específicos, estes projectos tiveram ainda um efeito didáctico, sensibilizando as autarquias locais para a necessidade de intervenção articulada entre o ordenamento do território (o planeamento urbanístico) e o planeamento do desenvolvimento, dando início a uma prática de planeamento físico inovador, nos espaços rurais exteriores aos centros urbanos, segundo novos modelos de vida nas áreas rurais. As intervenções futuras e o apoio a projectos no âmbito da oferta e animação turística, procurarão reforçar estas novas centralidades. A consolidação do Turismo de Aldeia articular-se-á com estes espaços. A gestão dos espaços e equipamentos criados, a preservação e manutenção dos Centros será assegurada por uma parceria, saída de um protocolo de cooperação assinado entre representantes de diferentes quadrantes da vida cívica local. Por exemplo, a Junta de Freguesia, a Escola, a Igreja, alguma associação cultural, recreativa ou desportiva se houver e representantes do comércio local.